Fundação das Artes comemora 50 anos e dá descontos de até 25% nas mensalidades

Todos os alunos da Fundação terão em média reduzidos 25% em suas mensalidades incluindo os alunos de cursos livres que também serão beneficiados com a medida

A direção da Fundação das Artes de São Caetano do Sul anunciou a redução de suas mensalidades para o ano letivo de 2018. Os novos valores valem para cursos livres e técnicos, nas linguagens de artes visuais, dança, música e teatro.

Para que isso fosse possível, assinaram o termo a diretora-geral da Fundação das Artes, Ana Paula Demambro, o secretário de Cultura, João Manoel da Costa Neto e o prefeito José Auricchio Júnior na última quinta-feira (30). A ação é parte das comemorações dos 50 anos da Fundação das Artes que acontece no dia 25 de abril de 2018 – trata-se de um feito inédito na história da autarquia municipal.

“A medida tem um impacto imediato na democratização do acesso à formação cultural e beneficiará diretamente mais de 1.300 alunos”, pontua Ana Paula. Para se efetivar a redução das mensalidades, foi realizado estudo técnico envolvendo as esferas administrativa, financeira, jurídica e pedagógica, com suporte das Secretarias Municipais da Fazenda e de Cultura.

O prefeito elogiou a gestão da escola para se chegar a essa medida. “Este é um exemplo que vai atravessar a nossa Administração, mostrando que política e gestão pública pode ser feita com seriedade e responsabilidade, sem farra fiscal. Baixar os valores contribui para tornar o estudo mais acessível”, diz Auricchio.

VALORES

Em média a queda nos valores de mensalidade é de 25%. Entre os cursos estão os de Artes visuais para crianças, adolescentes ou adultos, que baixaram de R$ 222 para R$ 159 (ou 28,3%). Na Escola de Dança, todos cursos de balé tiveram queda na casa dos 28%. Nas Escolas de Teatro e Música, as maiores reduções foram de 23% (de R$ 207 para R$ 159).

O secretário de Cultura, João Manoel da Costa Neto, esclarece que o ajuste das mensalidades ocorreu após estudo técnico. “Buscamos o valor vigente em 2009 e aplicamos o índice do IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado, da Fundação Getúlio Vargas) até a atualidade”, explicou o secretário de Cultura.

Dessa maneira, foi possível contar com pareceres favoráveis da contabilidade da Prefeitura, da Secretaria da Fazenda, e com o parecer jurídico da Fundação das Artes, diminuindo o índice de evasão de alunos. “Garantimos que a arrecadação própria da Fundação das Artes, proveniente das mensalidades, continue no seu patamar, não tenha queda de receita, nem prejudique seu orçamento”, concluiu.

Deixe seu comentário

Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Jornal Imprensa ABC. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos usuários e a conta do Facebook do autor poderá ser banida.